sábado, 25 de fevereiro de 2017

Agora andam irritados...

A afronta de nos tomarem por parvos
(Opinião por: José Pacheco Pereira)

O secretário de Estado quer-nos convencer de algo muito mais grave: é de que não deu por ela que lhe faltavam os números do dinheiro que ia para os offshores.

O que sabemos sobre o dinheiro saído para os offshores durante a governação PSD-CDS?

Desde Passos Coelho, furioso e malcriado na Assembleia, até ao passa-culpas do anterior secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Paulo Núncio, até ao silêncio da ex-ministra das Finanças que acha que não é nada com ela, todos estão a tomar-nos por parvos. Afinal, a culpa foi dos serviços que não fizeram a estatística devida, ou dos procedimentos informáticos, que, pelos vistos, foram modernizados só para um dos lados do escalão de rendimentos, mas que parecem funcionar muito mal no topo dos rendimentos, porque, tanto quanto eu saiba, não foram os funcionários públicos, nem os reformados, nem os empregados do comércio, nem os operários, nem os enfermeiros, nem os polícias, que colocaram o dinheiro em offshores. Aliás, já não é a primeira vez que estes tipos de implausibilidades acontecem nas finanças do Governo PSD-CDS, como foi o caso da “lista VIP”, já muito esquecido. (ler artigo complecto)

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Quando Deus fez o mundo...(humor)

Quando Deus fez o mundo, para que os homens prosperassem, decidiu conceder-lhes apenas duas virtudes.  Assim:
 - Aos Suíços fê-los estudiosos e respeitadores da lei
 - Aos Ingleses, organizados e pontuais
 - Aos Argentinos, chatos e arrogantes
 - Aos Japoneses, trabalhadores e disciplinados
 - Aos Italianos, alegres e românticos
 - Aos Franceses, cultos e com charme
 - Aos Portugueses, inteligentes, honestos e políticos
 O anjo, que secretariava as decisões de Deus, anotou…, mas logo de    seguida, cheio de humildade e medo, indagou:
 - Senhor, a todos os povos do mundo foram concedidas duas virtudes; porém, aos portugueses, o Senhor enunciou três! Isto não os fará soberbos em relação aos demais povos da Terra?
 - Muito bem observado, bom Anjo! Exclamou o Senhor... Isso é verdade!
 - Façamos então uma correcção! De agora em diante, os portugueses, povo do meu coração, manterão estas três virtudes, mas… nenhum deles poderá utilizar mais que duas simultaneamente – como os demais povos! Toma nota…
 Assim:
 - O que for político e honesto, não pode ser inteligente.
 - O que for político e inteligente, não pode ser honesto.
 - E o que for inteligente e honesto, não pode ser político!

“Palavra do Senhor”